Nome:
Local: Brasília, DF, Brazil

Bardo da Ordem Druídica Vozes do Bosque Sagrado.

17 de maio de 2006

O mérito, o lucro e o trabalho

"A grandeza não consiste em
receber honras, mas em merecê-las."

Aristóteles
Vivemos imersos num mundo pagão de egos livres, leves, soltos e famintos. Cada um de nós quer encontrar seu lugar ao Sol e muitos de nós querem levantar logo as mangas para fazer algo em prol da religião que, muitas vezes, sequer conhecem direito.

Uma pressa por resultado urge nos corações das pessoas. Algumas por ideal, outras por interesses diversos, e isso não importa tanto se o trabalho é feito direito. E aí é que mora o problema: o que mais se encontra é trabalho mal feito em busca de palco ou dinheiro.

Nos últimos 8 anos vi pessoas ascenderem como baluartes locais ou nacionais falando do Paganismo. Também acompanhei muitas ou não conseguirem essa ascensão ou afastarem-se de qualquer atitude pública alegando seja falta de seriedade no meio pagão, seja zelo pela própria privacidade.

A cada uma dessas pessoas com quem conversei falei da importância de mostrar a cara com um trabalho sério, a fim de levar ao público informações fidedignas, e não um reflexo de nosso próprio ego ou uma releitura romântica de algo encontrado pela ciência. É claro que todo discurso é "colorido" pela personalidade e principalmente pela paixão de quem o profere, mas a informação contida nele precisa ser o mais exata possível para quando alguém recontar a história ela continuar fiel às suas raízes.

É nesse campo que entra o dilema do ego. O primeiro portal a avistarmos e o último a cruzarmos em qualquer caminho mágico. É neste momento que sabemos se alguém busca o palco, dinheiro ou o trabalho realmente sério que, embora não precise excluir os anteriores, necessita de um imenso comprometimento com o que se pesquisa e divulga, antes de recebermos qualquer honraria ou ouro pelo que realizamos.

O trabalho bem feito, seja através do sacerdócio sério e compromissado, seja através de uma pesquisa minuciosa e bem embasada, é a grandeza de que cada um deveria precisar. Honras e lucro são consequências disso e quem trabalha seriamente sabe reconhecê-lo como tal, e não como a força motriz de suas ações.

4 Comentários:

Anonymous Pedro Ivan disse...

eh, eu lembro de um comentário sobre isto na comunidade

bem, lembrei de uma frase deste blog (não lembro se era sua ou não)... mas falava algo como "o sol ainda teria todo seu explendor se não estivéssemos aqui para percebê-lo?"

bem, concordo que o trabalho bem feito valha mais do que o ouro ganho, mas também concordo que os que dedicam sua vida a isto, mereçam reconhecimento, e uma certa dose de lucro se for possível (como na venda de livros), algo mais para tornar viável os estudos.. mas como previsto na república de Platão, uma pessoa iria ser feliz fazendo aquilo que ama, o Guardião (cargo máximo da república), não teria posses e seria imensamente feliz pelo trabalho que faz, pelo simples fato de fazer algo que ele julgava ser nobre... acho que cabe bem aqui também

17 maio, 2006 17:58  
Blogger Aileen disse...

Preciso falar q concordo?? Hehehe...
Bjos!

17 maio, 2006 22:09  
Anonymous Anônimo disse...

Mais uma vez, vc prova ser merecedor de tantos elogios,os meus são pela tua dedicação e pelo caminho de luz que(POR DÁDIVA DOS DEUSES);clikei e pude crêr novamente que minha busca ñ era mais solitaria!bjsss e Bençãos pra ti!!!

23 maio, 2006 22:51  
Anonymous Anônimo disse...

Desculpe-me, o comentário anônimo acima é meu na pressa ñ me identifiquei,bjsss Ashore Angel.

23 maio, 2006 22:54  

Postar um comentário

Links para este texto:

Criar um link

<< Voltar à página inicial