Nome:
Local: Brasília, DF, Brazil

Bardo da Ordem Druídica Vozes do Bosque Sagrado.

5 de outubro de 2006

Sobre Fórmulas Mágicas e Resultados Miraculosos

"O conhecimento é orgulhoso por ter aprendido tanto;
a sabedoria é humilde por não saber mais"

William Cowper
Existe no mundo a correria em busca de fórmulas prontas, as ditas "receitas de bolo" para realizar deste a paz mundial até, no nosso caso, um mero ritual ou um feitiço.

Como não adianta explicar que esse tipo de fórmula é coisa capciosa, principalmente quando falamos de magia e espiritualidade, resolvi então abordar a explicação utilizando uma fábula que recebi e que trata de fórmulas mágicas e resultados miraculosos de uma forma bem prática, numa linguagem bastante adaptável a qualquer situação em nossas vidas.

Aproveite!


Era uma vez um caçador, que contratou um feiticeiro para ajudá-lo a conseguir alguma coisa para facilitar-lhe o trabalho nas caçadas.
Depois de alguns dias, o feiticeiro lhe entregou uma flauta mágica que, ao ser tocada, enfeitiçava os animais, fazendo-os dançar. Desse modo, o caçador teria facilitada a sua ação.
Entusiasmado com o instrumento, o caçador organizou uma caravana, convidando dois outros amigos caçadores para a África. Logo no primeiro dia de caçada, o grupo se deparou com um feroz tigre. De imediato, o caçador pôs-se a tocar a flauta e, curiosamente, o tigre, que já estava próximo de um de seus amigos, começou a dançar. Foi fuzilado à queima-roupa.

Horas depois, um sobressalto: a caravana foi atacada por um leopardo que saltava de uma árvore. Ao som da flauta, contudo, o animal transformou-se. De agressivo, ficou manso e dançou. Os caçadores não hesitaram e o mataram com vários tiros. E assim foi: a flauta sendo tocada, animais ferozes dançando, caçadores matando.

Ao final do dia, o grupo encontrou pela frente, um leão faminto. A flauta soou mas o leão não dançou. Ao contrário, atacou um dos amigos do caçador flautista, devorando-o. Logo depois, devorou o segundo. O tocador de flauta, desesperadamente, fazia soar as notas musicais, mas
sem resultado algum. O leão não dançava. E enquanto tocava e tocava, o caçador foi devorado.

Moral da História:

— Não confie cegamente nos métodos que sempre deram certo, pois um dia podem não dar;
— Tenha sempre planos de contingência;
— Preveja tudo que pode dar errado e prepare-se;
— Prepare alternativas para as situações imprevistas;
— Esteja atento às mudanças e não espere as dificuldades para agir;
Cuidado com o "leão surdo".


Lida a fábula, eis a explicação do que seja plano de contingência, nas palavras da administradora Cecília Lóes:
"Planos de contingência são feitos antecipadamente para uso em casos de emergência e permitem que uma empresa continue operando mesmo com os incidentes. No caso de catástrofes ou acontecimentos totalmente inesperados, esse plano é feito depois do acontecido para reparar os danos e lidar com os problemas causando o mínimo de prejuízo a organização".

Previna-se contra o leão surdo escutando "O Leãozinho", cantada por Caetano Veloso, e acompanhe a letra pelo próprio link.
Assista também o vídeo clipe.

Com agradecimentos a Ashore Angel pela frase, a Nicholas Moreira pela fábula e a Cecília Lóes pela explicação e pelo vídeo.

2 Comentários:

Anonymous Tir Na Duan disse...

É por isso que vc nunca nos ouve? O leão é surdo? Ah, tá... agora entendi... hehehehe...
:P

06 outubro, 2006 18:02  
Anonymous Ninfa Lua disse...

Boa! Gostei.Aprendi com o plano de contingência.

16 outubro, 2006 11:05  

Postar um comentário

Links para este texto:

Criar um link

<< Voltar à página inicial