Nome:
Local: Brasília, DF, Brazil

Bardo da Ordem Druídica Vozes do Bosque Sagrado.

25 de dezembro de 2006

A Boa Educação

Assim como a sociedade moderna, a comunidade pagã não faz mais idéia do que seja e para que sirvam as boas maneiras. Tornamo-nos auto-centrados e deixamos de nos importar com o outro de tal forma que precisamos ser lembrados das normas mais elementares de convivência, como da cordialidade de um mero cumprimento ou de aguardar nossa vez na fila.

Não sabemos caminhar, não sabemos nos vestir, não sabemos falar, "naum çabêmu digitá", não olhamos nos olhos das pessoas com quem conversamos e é raro quando não ignoramos quem esteja ao nosso lado e lhes atrapalhemos a vida, simplesmente porque não estamos nem aí. Não nos importarmos nem pedimos perdão ao pisarmos no pé de um estranho enquanto corremos para nossos sempre inadiáveis e urgentes compromissos, e atropelamos a educação.

Somos escravos da agitação, e seres produtivos que temos de nos tornar, não temos tempo para perder em com o outro. Parece que esse tipo de "comportamento obsoleto" é apenas algo fora de moda copiado de algum "filme cafona" do Fred Astaire ou aquela baboseira que as mulheres vivem cobrando que os homens façam, como abrir portas, mas que saem correndo atrás do primeiro "bad boy" quando um homem "tenta agradá-las".

Só que a coisa não é nada assim. Vivemos em sociedade e participamos de grupos. Não somos o centro de nenhum universo nem donos do mundo, mas ensimesmados que somos, esquecemos de que ao lado existe alguém, e esse alguém não existe para girar em torno de nós.


Mas como eu não sou exemplo de educação para ninguém e tenho muito a aprender, o que posso fazer é indicar um livro para quem se interesse em viver num raio maior que o próprio umbigo...

Pequeno Livro de Etiqueta – guia para toda hora – Ana Vaz
Idioma: português brasileiro Editora Verus. ISBN: 8576860058

E se você é daqueles que acha saber se portar em qualquer situação, vá a algum lugar bem público e escute "Unidunitovski", cantada (e liberada para download) pelo grupo Libera O Badaró. Se depois de escutar a música você ainda não entender do que se trata, conheça a versão original da letra imortalizada pelo Trem da Alegria clicando aqui, e assista os vídeos que são disponibilizados por lá.

Com agradecimentos a Cecília Lóes pela dica do livro e a Wally pela música e pelo site da banda.

2 Comentários:

Blogger Ana "Quindim Girl" Rodrigues disse...

Puxa, vc sumiu...:(

Saber conviver é uma arte conhecida por poucos, e fingida por muitos...

Aproveito pra desejar um bom novo ano civil e tudo de bom pra vc!

Beijo

Ana

25 dezembro, 2006 16:31  
Blogger Tatiana Mamede disse...

"Mim ser muitcho mal educada". AINDA...ou melhor, POR ENQUANTO!
Beijos.

28 dezembro, 2006 17:52  

Postar um comentário

Links para este texto:

Criar um link

<< Voltar à página inicial