Nome:
Local: Brasília, DF, Brazil

Bardo da Ordem Druídica Vozes do Bosque Sagrado.

4 de setembro de 2007

Eventos No Seu Altar

"Como assim, eventos"? – foi o que algumas pessoas me perguntaram quando usei este termo.

Para mim, um evento num altar é quando algum ato ritualístico, por mais simples que seja, acontece ou chega até ele. Uma oferenda, uma vela acesa ou qualquer evento temporário que ocorra em seu espaço sagrado são exemplos de pequenos e simples ritos que podemos utilizar no dia-a-dia em nossa prática como druidistas e muitos desses eventos não sequer identificados como rituais aos olhos de quem siga outra fé.

Como fazê-los acontecer? Como usá-los?

Atenha-se ao simples. O Druidismo é uma religião de gestos e atitudes naturais, mas principalmente de uma postura cotidiana quando se fala de magia. peguemos o altar como exemplo: não há porque, numa prática diária, paramentarmos um pomposo altar que será entregue ao pó e as teias das aranhas em seguida. Vale mais o altar simples, feito de coisas que realmente signifiquem algo, que uma coleção de coisas sintéticas e estéreis compradas em lojas. Não que não as possamos ter, claro que podemos, desde que signifiquem algo que as justifique estar ali.

Da mesma forma acontece com os eventos. Coloque no seu altar eventos importantes para você e, principalmente se for novo na prática do Druidismo, alguns que são importantes para conhecer melhor nossas crenças. Aqui vão algumas dicas interessantes de eventos que você ter no seu altar:

— Em dias de datas familiares importantes, tais como aniversários de nascimento ou datas comemorativas em geral como dia dos pais, mães, avós, família, etc., deixe uma ou mais fotos em destaque no altar ou perto dele, e faça um agradecimento aos Deuses pela família que te recebeu nesta vida. Lembre-se de que é graças a eles que você está lendo este texto, hoje em dia;

— Em datas importantes da sua vida, faça um agradecimento aos Deuses pelo evento ou mesmo por ter saído inteiro dele (caso de ter sobrevivido a um assalto ou acidente, por exemplo);

— Nos festivais, deixe um pouco do banquete em seu altar até acordar no dia seguinte. Lembre-se de que todo alimento que coloque em seu altar não deve ficar lá por muito tempo a ponto de deteriorar-se, isso tanto por uma questão de higiene do seu espaço sagrado quanto de respeito aos Deuses e seres feéricos que o visitem através dali;

— recolha uma folha ou semente das cercanias de onde more, de preferência de alguma árvore nativa da sua região, e deixe-a em seu como um lembrete da importância que o lugar aonde você está tem neste momento de sua vida. Procure conhecer mais sobre a planta e procure entender porque especificamente esta chamou sua atenção;

— Ao acender uma vela em seu altar, tome um tempo olhando para ela e apreciando a dádiva do fogo. Não é um fogo qualquer o que habita aquela vela. Pode ser o fogo que fadas inspiraram a vir ter contigo ou a presença da própria Brigit em teu espaço. Se toda forma, aquele fogo é sagrado, e não deve ser apenas objeto de respeito, mas de atenção e cuidado;


Esses são apenas alguns exemplos que podemos fazer em nossa prática diária dentro do Druidismo, jamais esquecendo do foco nos Deuses, nos antepassados (sua família incluída aí) e na natureza que te cerca. E não esqueça o mais importante: o maior de todos os altares está sempre contigo: seu coração. E nele, arde a chama da tua fé.


Deposite uma bênção em seu altar enquanto escuta "Aniron", entoada qual bênção na voz e talento de Enya. Acompanhe a letra e a tradução desta canção, cem como seu vídeo clipe.

Em agradecimento a Brigit pelo retorno do General Ti das portas do Outro Mundo.

Marcadores: , , , ,

4 Comentários:

Anonymous Mar.paradoxo disse...

Oi Malhado,
venho colhendo uma mudinha hoje, mais uma outro dia...
Desejo que você saiba que trouxeste inpiração para que eu percebesse dessa naturalidade com que é nosso encontro com o divino. O que torna grande os pequenos eventos é o que dedicamos em intenção sincera. Beijos e Bençãos.

05 setembro, 2007 14:41  
Blogger Pensamentos e Sentimentos de um Druida Verde disse...

Magnífico seu texto meu caro,Malhado!vc está me surpreendendo a cada dia,que bom ver algo nobre e simples ao mesmo tempo que profundo,é isso mesmo meu caro. Druidismo não é quantidade é qualidade,e quanto mais natural melhor,falo não só em ações ,postura interior,mas também ao fazer esse 'elo",pois para o druidista,o altar físico é apenas o outro lado da ponte,sendo que o outro está dentro do coração,como bem disse..e o rio que corre debaixo dessa ponte vai ser puro ou não dependendo das intenções;e como toda ponte tem um ser feérico rabugento as vezes para defender a integridade dos Deuses e Deusas....Hehe eis-me aqui...
Olha Malhado fico bem descansado ao ver sua postura,deixo aqui também meus parabéns quanto sua posição no tópico sobre Emma Restall Orr,tanto vc como Bandruir estão de parabéns sobre certos aspectos,dei meus parabéns a ela e aproveito para deixar aqui o seu...
Acho que acima de qualquer definição religiosa ou filosófica a respeito do paganismo e do druidismo,devemos ficar atento ao "comércio da fé" que está se tornando forte e levando aos que começam seja em que tradição for uma idéia distorcida e distante disso que com primazia passou em seu texto,essa simplicidade em adorar a natureza e suas causas primárias os Deuse(a)s,bem como as leis vivas destes os elementais e espiritos da natureza,parabéns meu caro ...
.*.
/|\
O DRUIDA VERDE
NORHUYAS ABRAMESTH SMARAGDUS

05 setembro, 2007 15:35  
Blogger Su disse...

tudo que precisava ler hoje!
muito obrigada!

06 setembro, 2007 00:06  
Anonymous rafael ocult disse...

perfeito, e digo mais, nao vale isto so au druidismo, mas para todo aquele que cultua seus deuses de forma seria e correta.
abracos

09 setembro, 2007 09:35  

Postar um comentário

Links para este texto:

Criar um link

<< Voltar à página inicial