Nome:
Local: Brasília, DF, Brazil

Bardo da Ordem Druídica Vozes do Bosque Sagrado.

8 de maio de 2007

Três Peneiras

Olavo foi transferido de departamento. Logo no primeiro dia, para fazer média com o novo chefe, saiu-se com esta: - Chefe, o senhor nem imagina o que me contaram a respeito do Silva! Disseram que ele...

Olavo nem chegou a terminar a frase, e o chefe disse:

— Espere um pouco, Olavo. O que vai me contar já passou pelo crivo das três peneiras?

— Peneiras? Que peneiras, chefe?

— A primeira, Olavo, é a da verdade. Você tem certeza de que esse fato é absolutamente verdadeiro?

— Não. Não tenho, não. Como posso saber? O que sei foi o que me contaram. Mas eu acho que... E, novamente, Olavo é interrompido pelo chefe:

— Então, sua história já vazou a primeira peneira. Vamos então para a segunda peneira, que é a da bondade. Você gostaria que os outros também dissessem a seu respeito o que você vai me contar?

— Claro que não! Deus me livre, chefe! - disse Olavo, assustado.

E o chefe prosseguiu:

— Então, sua história vazou a segunda peneira. Vamos ver a terceira peneira, que é a da necessidade. Você acha mesmo necessário me contar esse fato?

— Não, chefe. Pensando desta forma, vi que não sobrou nada do que eu ia contar...

— Pois é, Olavo! Já pensou como as pessoas seriam mais felizes se todos usassem essas peneiras? Da próxima vez em que surgir um boato por aí, submeta-o ao crivo das três peneiras: Verdade - Bondade - Necessidade. E, o chefe concluiu dizendo: Antes de passar uma informação adiante, lembre-se sempre que pessoas inteligentes falam sobre idéias, pessoas comuns falam sobre coisas e que pessoas mesquinhas falam sobre pessoas.

Autor Desconhecido


Sempre achei esta história muito bonita, mas até hoje eu a conhecia na na versão em que um monge mais velho aconselha um aprendiz. Concordo quase 100% com o que foi exposto neste texto, e considero-o uma daquelas lições que todo mundo deveria guardar para si e ter num caderninho de cabeceira onde, quando achasse que há algo errado no próprio caminho, pudesse lê-lo qual o "manual do messias" do livro Ilusões, de Richard Bach.

Certamente esta história, uma modificação, faria parte do meu.

Mas com o que não concordo, então? Da fábula, concordo com tudo, mas não é verdade a idéia de que pessoas inteligentes e pessoas mesquinhas estejam em categorias separadas, pois conheço muitas pessoas que são extremamente inteligentes e usam todo o seu potencial para não apenas falar sobre pessoas, mas para destruir suas vidas. Isso está nas novelas, na sabedoria popular e nos cordéis. Prefiro chamar, ao invés de inteligentes, de conscientes as pessoas que usam sua inteligência em prol de algo construtivo, e embora não ache um substituto (ainda) para o termo "pessoas comuns", que acho meio pejorativo, acho-o aceitável.

Todos já fomos alvo da mesquinharia alheia, e eu mesmo volta e meia ouço de pessoas que jamais me conheceram ou sequer acompanham meu trabalho, mas não hesitam em propagar as mentiras que a mesquinharia alheia contou a meu respeito. Minha sugestão? Use sua inteligência pra algo que preste e torne esse mundo um pouco melhor.


Aprenda a utilizar suas três peneiras enquanto escuta "Geni e o Zepelin", um poeta bastante lúdico entoado por Chico Buarque, é verdade, mas que traz em si uma imensa crítica à nossa sociedade. Acompanhe a letra pelo próprio link.

Com agradecimentos a Ana Cláudia pela fábula e pela Inspiração e a Suzana Soares pela lembrança da música.

Marcadores: , ,

4 Comentários:

Blogger Melian Stern disse...

Pensa num filme acabou de passar na minha mente ao ler sua indicaçao musical, hehehehhe, uma semana atrás, fogueira e as vozes da Suzana e do Kurt cantando essa música, muito divertido.

Agora qto a fábula, realmente é algo que ñ deveríamos esquecer e ter sempre a mão para recordarmos o qto a nossa língua pode ser ferina!

Obrigada pelos agradecimentos!!!

08 maio, 2007 16:10  
Blogger Su disse...

E bem que a gente tentou mesmo cantar esta fantástica música heim?!
Aprender a peneirar é importante! Infelizmente cometemos muitos erros de vez em quando... então, que a sabedoria do perdão venha aos corações que atingem e são atingidos desnecessariamente.
Beijos

08 maio, 2007 16:27  
Blogger Tami Fada disse...

Ha haha..
Este texto é ótimo!

Vou ver se o imprimo, para fazer uma campanha "Adote as três peneiras em sua vida! Que todos serão mais felizes!"

=))

Beijos Malhado!
Tenha uma tranquila semana por aí...

08 maio, 2007 17:54  
Anonymous Edson Marques disse...

Maravilhoso o texto sobre "As três peneira".

Belíssimo!

Uma lição de seriedade.


abraços, flores, estrelas.

09 maio, 2007 12:11  

Postar um comentário

Links para este texto:

Criar um link

<< Voltar à página inicial