Nome:
Local: Brasília, DF, Brazil

Bardo da Ordem Druídica Vozes do Bosque Sagrado.

18 de outubro de 2006

O Tempo, o Cinza e o Cobertor

São tempos cinzentos, e o frio ergue-se em meio à madrugada quieta e solitária, úmido. As estrelas são meras coadjuvantes, ofuscadas por grandes nuvens, que de tão pesadas arrastam-se próximas aos topos dos edifícios e desfilam coloridas pelo alaranjado suave das luzes das vias desta capital sonolenta.

É esta a cena que avisto da minha sacada nas noites recentes da capital. Mas a descrição romântica só é possível quando retiro da cena os filhinhos de papai que fazem "pega" pelas ruas retilíneas em frente à minha casa ou os bêbados e mendigos que caminham por debaixo do prédio, aquecidos e embalados pelo álcool ou estremecidos pelo frio solitário de quem não tem um ombro amigo onde encostar.

Penso então numa prática que a Wicca vem retomando com força e que várias culturas pelo mundo e pela história afora apresentam: hoje eles a chamam de "Faxina de Primavera".

Mas hoje é dia 18 de outubro, a Lua já percorreu todo um ciclo desde o início da nova estação – que na cultura celta começou em Imbolc, pois a contagem das estações dava-se diferentemente – e são 04:43h da madrugada enquanto escrevo estas linhas. É até natural pensar que provavelmente todos já tenham feito sua faxina, doado as roupas que já não servem mais e só entulham nossos armários e aberto a casa para deixar a energia de fertilidade e renovação invadir nossos poros e os cantos de nossos lares...

Mas não é assim que funciona.

Existem duas razões pelas quais a comunidade pagã acomoda-se e ou não faz essa "faxina" ou deixa passar a oportunidade de através desse ato cuidar da comunidade que a cerca amenizando o frio daqueles que padecem nas ruas.

Em primeiro lugar, hoje existe a idéia burra de que caridade é "coisa de cristão", e que um pagão não faz esse tipo de coisa. E sim, esse pensamento existe e tem defensores com nomes de peso em nosso meio (no plural mesmo, pois são alguns). É como se em nome de nossa fé devêssemos encarar a degradação sem agir diante dela, por mais que tenhamos ferramentas para fazê-lo sem sequer empreender um esforço que mereça menção, e assim melhorar a comunidade à nossa volta.

Nessas horas eu penso na minha tríade predileta e abro um sorriso triste de quem não entende como essas pessoas se dizem parte de uma teia sagrada, enquanto viram suas costas para o outro nó, sujo e mal-formado, que os flanqueia e "atrapalha" a visão pelo simples fato de existir. Peço então a Brigit que jamais lhes falte o calor de seu colo e o acalanto de sua voz, pois enfrentar o frio de uma noite escura, principalmente quando chove, não é uma experiência para qualquer um, e sei bem disso.

Em segundo lugar está a capacidade infindável para em tempos assim deixar-nos afundar em meio a nossos acolhedores edredons e curtir a preguiça dos dias e das noites. Menos dramática que a anterior mas igualmente cruel, pois nosso aconchego não passa o frio de outrem, essa é a mais simples de resolver das duas situações, pois basta-nos separar, sei lá, uma hora ou duas e arrumar numa trouxa, numa caixa ou em sacos plásticos o que só nos estorva espaço.

Aí vem o passo final... a doação. Eu não deixo minhas roupas em entidades que nos demonizam ou ridicularizam, então ou eu junto algumas pessoas e dôo tudo direto numa instituição ou eu entro em contato com a polícia militar ou os bombeiros, entidades civis que saberão onde o frio aperta nas pessoas. Simples, rápido, indolor, laico e fácil de achar.

Estamos em tempos cinzentos, de gestos frios e semblantes chuvosos, mas espero que nossas almas vibrem nas cores exuberantes da Primavera e tragam novamente as cores da alegria para este mundo!


Enquanto isso não acontece, lembre-se de Phil Collins cantando "Another Day in Paradise".
Acompanhe a letra e a tradução pelo próprio link.

1 Comentários:

Anonymous Ninfa Lua disse...

Ah...Que delícia!!! Boa oportunidade para aproveitar o calor das velas na Celebração à Lua e purificar-se.
Mas a limpeza deverá ser principalmente interna né!?
Gde abraço Malhado.
Ninfa Lua

20 outubro, 2006 22:51  

Postar um comentário

Links para este texto:

Criar um link

<< Voltar à página inicial