Nome:
Local: Brasília, DF, Brazil

Bardo da Ordem Druídica Vozes do Bosque Sagrado.

29 de novembro de 2006

Confissões Minutas

Hoje estamos aqui reunidos
Para darmos fim a todo um trabalho
Trabalho que mais parece brincadeira
Pessoas que mais parecem crianças
No começo tudo dava medo
Tudo era desconhecido
Hoje não há mais segredo
Somos todos amigos
Pessoas que não se conheciam
Passaram a se conhecer
Pessoas que não se viam
Passaram a se ver
Pessoas que mal se olhavam
Passaram a se admirar
Pessoas que mal falavam
Passaram a palestrar
Hoje temos a certeza
De um objetivo alcançado
E de é preciso apenas um minuto
Para transmitirmos um recado
Neste curto período de tempo
Fizemos várias descobertas
Descobrimos que somos super-heróis
E que podemos do telhado voar
Descobrimos que somos pintores
E que podemos o mundo retratar
Descobrimos que um simples pedido de criança
Pode se transformar em uma caixa de esperança
Descobrimos que o amor da gente
Pode curar até mesmo a maior dor de dente
Descobrimos que somos capazes de levantar toda uma torcida
E que dentre as flores a margarida
Descobrimos que somos unicamente um
Um eu romântico
Um eu vilão
Um eu algoz
Um eu que acima de tudo
É agora capaz de dizer ao mundo de uma forma jamais dita
Eu te amo, através da voz
Hoje no findar deste
Cada um seguirá seu caminho
Levando contigo a certeza
De que jamais estará sozinho

F.A.B.


Este poema, feito por um poeta de quem eu há algum tempo quero publicar algo mas muito relutou em figurar aqui por prezar seu anonimato, relata-nos o processo de quando pessoas estão reunidas e permitem-se aproveitar a oportunidade de conhecer umas às outras. Mais que descrição, é o resultado de uma química que as une qual rejunte num mosaico construído a partir das tesselas da experiência de cada pessoa envolvida. No caso, participantes de um curso de oratória.

Embora este poema tenha sido escrito há uma só mão, inspirou-se em muitos corações para brotar, e você pode fazer um poema assim ou criar um poema a tantas mãos com os seus queridos quando quiser, criando um poema dadaísta.

Para tanto, cada um escreve um verso e enrola o papel de modo que apenas os dois últimos versos possam ser lidos por quem continue a estória, até que o grupo considere o texto finalizado.

Depois leia e divirta-se descobrindo seu "mosaico de versos".


Após fazê-lo, delicie-se com seu poema escutando "These Dreams", no vídeo clipe desta obra prima do Heart. Acompanhe a letra e a tradução desta canção.

Marcadores:

1 Comentários:

Blogger Su disse...

Tomare que F.A.B. se pronuncie!!!
Lindo o poema!

01 dezembro, 2006 19:37  

Postar um comentário

Links para este texto:

Criar um link

<< Voltar à página inicial