Nome:
Local: Brasília, DF, Brazil

Bardo da Ordem Druídica Vozes do Bosque Sagrado.

14 de fevereiro de 2007

Chão

"Todos precisamos de um chão aonde caminhar"

Alexandre Malhado


Quando falei essas palavras eu pensei que o texto no qual ela figuraria falaria sobre religiosidade ou convivência religiosa, mas os meses que se seguiram me fizeram olhar para o chão como algo bem mais simples, mais palpável e incomensuravelmente mais próximo de mim que a filosofia verborrágica.

Eu olhei para baixo, e meus pés estavam lá, apoiados no chão. Olhei para a chuva forte dessa noite e lembrei do chão umedecido e da vida que dele brota, agradecida pelo alimento. Olhei para o código no qual eu escrevo meus textos (escrevo direto no código, e não no editor de textos do Blogger) e vi a tecnologia antiga de apresentação ser substituída pela nova enquanto meus dedos dançam no teclado.

Parei e pensei na mudança de casa, tema primeiro desta semana, e tomei consciência do meu chão. Foi quando começou esta nova verborragia, numa tentativa difusa de explicar o que experiencio.

Recentemente começaram as aulas do nosso Grupo Semente, e ao mesmo tempo em que vi a turma de 2007 ansiosa por respostas e temerosa por perguntar deparei-me com o turbilhão da mudança de endereço. Tão preocupado que fiquei em fornecer as respostas a quem as busca, deixei passar ao largo a resposta que eu queria, de onde seria o chão aonde agora pousei.

Mudar de casa, mudar de religião, mudar de time de futebol, mudar os ditames do coração... mudar nos deixa, mesmo que momentaneamente, suspensos no vácuo da incerteza, e deixamos o simples gritando as respostas enquanto consultamos ávidos a tagarelice da preocupação.

E, após muito tentar entender a tagarelice do meu cérebro, achei em meu coração a resposta: o chão está no calor de nosso lar, e lar não é um local, mas uma atitude. Com a atitude correta, podemos transformar em lar o solo sob nossos pés sempre que o quisermos. Então, sentindo o chão sob meus pés, caminhei pelo meu novo lar, e redescobri que o lar não está em mim. Eu sou o lar de mim.

Então Brigit sorriu para mim, e a verborragia cessou.


Sinta o solo sob os seus pés enquanto escuta "O Mundo Anda Tão Complicado", do Legião Urbana. Acompanhe a letra pelo próprio link e não deixe de conferir o vídeo clipe.

Com agradecimentos a Débora Hallwass, pela Inspiração.

Marcadores: , ,

3 Comentários:

Blogger hicmarus disse...

vaaaaamos! alguma crônica em especial?

15 fevereiro, 2007 11:48  
Anonymous Ciça disse...

Chão novo, casa nova, novo lar tomando forma para nós!

BJS

15 fevereiro, 2007 20:05  
Blogger Adriana Helena disse...

Home is where you heart is... já disse alguém!:o)
Saudades de ti!

21 fevereiro, 2007 17:54  

Postar um comentário

Links para este texto:

Criar um link

<< Voltar à página inicial