Nome:
Local: Brasília, DF, Brazil

Bardo da Ordem Druídica Vozes do Bosque Sagrado.

25 de julho de 2007

O Altar Druídico

    Um altar druídico é algo extremamente livre e simples de se fazer e, ao mesmo tempo, uma das coisas mais complexas que um druidista pode preparar. Isto porque o altar deve refletir a si, aos próprios antepassados, à natureza ao redor de onde o druidista vive e aos Deuses com quem tenha mais afinidade e, sem conhecer qualquer dessas facetas, ninguém pode realmente preparar um altar que seja muito mais que apenas bonito.


    Primeiro comecemos com o básico do básico: os três elementos celtas. Não temos quatro elementos e nossos elementos não têm absolutamente nada haver com os elementos gregos que, afinal, são gregos e não celtas. A coincidência de nomes é apenas isso: coincidência. Falemos um pouco dos nossos elementos, então.

    A Terra – representa o solo que nos sustenta e nutre. O solo que você vê pela janela, todos os dias e sobre o qual caminha quando passeia pelas cercanias da sua casa ou a caminho do trabalho. Sem esse solo sob os seus pés não haveria uma casa, nem alimento. Alguns exemplos de boas representações para esse elemento são: pedras das cercanias ou de algum lugar que lhe seja especial, cristais da região, um punhado da terra do seu jardim, da praça perto da sua casa ou e algum lugar que lhe seja especial, um pedaço de raiz ou madeira, folhas (podem inclusive ser da época e de árvores nativas da sua região, o que é um bom estudo), entre tantas opções.

    O Céu – representa essa tela azul que te protege e ilumina os nossos dias, enquanto fecunda a Terra e permite que a vida se instaure nesse planeta. Alguns exemplos de boas representações para esse elemento são: elementos do festival em que estamos, penas, representações do Sol, da Lua e/ou das estrelas, de nuvens, de chuva, de eventos atmosféricos, de aves ou outros seres que voem.

    As Águas – representam o mar e os rios, portais naturais para o Outro Mundo e uma importante fonte de alimento, além de ser a principal fonte de oxigênio do planeta (por causa das algas azuis). Alguns exemplos de boas representações para esse elemento são: conchas, seixos rolados, um recipiente com água, uma pequena fonte de água corrente, uma imagem de um rio ou cachoeira.


    Em seguida, coloquemos os três pilares do Druidismo no seu altar:

    A Natureza – esta parte engloba as representações dos três elementos mais coisas que você julgue importantes e interessantes que a natureza à sua volta ofereça. Vale a sua imaginação.

    Os Antepassados – representa tudo o que veio antes de você. As árvores antigas e as árvores sagradas, os celtas, os antigos de nossa fé e, principalmente, os seus próprios antepassados. É importantíssimo ter elementos da sua família, dados de bom grado e que te lembrem dos seus pais, avós, etc. Caso um dos seus pais não faça parte de sua vida porque não quis ou vocês foram separados por condições que cada um saberá a sua, lembre-se de que ao menos um grande presente você recebeu: a vida. Em agradecimento a esse presente, coloque alguma representação dessa pessoa.
    Se seus pais são de religiões diferentes não há problema. A representação é deles, e não das crenças às quais eles abracem. E mesmo que o símbolo seja da religião que eles professem, para você ele será um símbolo de ligação entre você e a única ancestralidade que realmente importa: sua árvore genealógica. Aliás, faça-a e a deixe guardada no seu altar. Tente ir o mais para trás que conseguir, e agradeça a cada um pelo dom da vida ter chegado até você.
    Mantenha sempre um local para ofertar alimento aos antepassados. Isso pode ser feito no seu altar ou num local específico na sua casa. É sempre bom deixar um pouco de comida a cada refeição para seus antepassados, trocando-a na refeição seguinte. Neste quesito, é importante ter cuidado com a limpeza do local para não atrair pragas e insetos.
    Não se esqueça de você!!! Pequenos objetos que lembrem a sua trajetória nessa vida, como um trabalho de escola, fotos de infância, etc.
    Evite ao máximo utilizar fósseis em seu altar, pois a depredação de sítios arqueológicos alimenta-se do comércio dessas peças.

    Os Deuses – nesta área coloque uma divindade com a qual você tenha maior afinidade e, se não houver, alguma representação dos Deuses que achar. Não necessariamente é preciso ser uma imagem. Por exemplo, num altar de Brigit pode haver sempre uma vela acesa (velas de 7 dias são mais fáceis e baratas de manter assim). Também vale a imaginação, mas lembre-se que os Deuses celtas não são aspectos de uma divindade ou "faces" de alguma divindade ou energia. O Druidismo é necessariamente politeísta.


    Note ainda que cada representação no seu altar deve refletir o local aonde você more e as estações segundo elas passam ao seu redor. Claro que você pode ter uma folha de carvalho num altar criado em meio ao sertão de Pernambuco, mas esse tipo de representação não substitui a representação da terra. Pode sim estar na representação dos seus antepassados (afinal o Druidismo chegou até você graças a muitas pessoas) ou das árvores sagradas.

    Velas não são necessárias num altar druídico, a não ser que sejam pra representar o fogo não como elemento, mas como presente dos Deuses ou ser feérico (dependendo da região a visão difere). Também para pedidos aos Deuses, e para isso uma vela branquinha é mais que suficiente, quando for acendê-la. Evite deixar velas paradas no seu altar.

Por fim, lembre-se de que um altar é um local extremamente dinâmico e que requer cuidados especiais na limpeza física e espiritual. Sempre que estiver se sentido bem deposite um pouco desse sentimento ali, elevando assim a sua energia e emanando bons fluidos em sua casa. Quando precisar, a energia estará lá para iluminar as noites escuras da sua alma. Eu costumo dizer que o altar é um lugar a ser cultivado.

    IMPORTANTE: Tamanho não é documento. Você pode ter todo o seu altar num espaço bem pequeno. É só saber escolher o que colocar nele.


    Bom trabalho, e que a Inspiração dos Deuses guiem teus olhos e teus gestos, no cultivo do teu altar!


Semeie seu espaço ao som de "Seeds of Love", de Loreena McKennitt. Acompanhe a letra e a tradução desta canção.

Marcadores: , , , , , , ,

4 Comentários:

Blogger Saramar disse...

Estou especialmente encantada por encontrar seu blog.
Sou muito curiosa em relação à civilização celta e quero muito aprender.
Aqui, encontei o que buscava.
Serei visita constante daqui em diante.

Muito prazer.

beijos

25 julho, 2007 10:50  
Blogger Saramar disse...

Voltei.
Esqueci de dizer que coloquei seu link no meu blog de poemas (http://flanarfalares.blogspot.com) para não perder o rumo.
Obrigada.

25 julho, 2007 10:54  
Anonymous Edson Marques disse...

Malhado,

que lindo!

Os três elementos celtas são muito mais criativos que os quatro gregos.


Fundamentais!


Quero um altar celta pra mim... rs!


Abraços, flores, estrelas..

.

25 julho, 2007 18:23  
Blogger Su disse...

Oi!
Muito obrigada viu?!
Aguardo vcs aqui pra ver como ficará...
Beijos

26 julho, 2007 02:47  

Postar um comentário

Links para este texto:

Criar um link

<< Voltar à página inicial