Nome:
Local: Brasília, DF, Brazil

Bardo da Ordem Druídica Vozes do Bosque Sagrado.

28 de março de 2007

Carta a Quem Começa

    No início o medo é normal. Principalmente o medo de errar.

    Vivencie seus ritos e práticas para descobrir a energia dos Deuses em você e conectar-se cada vez mais com Suas energias. Estude bastante, conheça o que puder, mas não replique simplesmente nenhuma receita pronta de feitiço ou ritual porque alguém lhe disse para fazer desse jeito ou porque tenha lido num livro que deva ser assim. Crie o seu jeito aos poucos, enquanto fortalece sua experiência respeitando as normas da fé que esteja pesquisando e a palavra dos que trilham seriamente o caminho há mais tempo. Você vai errar às vezes, acertar outras. Vai pensar que alguma coisa funciona pra você quando na verdade é outra que funcionará, e vai acertar algumas, poucas e valiosas, de primeira.
    Tornar-se pagão é um processo muito pessoal, e essa transição deve ser feita tendo a maior paciência para consigo. Ninguém tem que acertar nem tem prazo algum a cumprir. Então, não se apresse nem pule etapas que agora possam lhe parecer ridículas para depois você não sentir falta do que elas poderiam ter-lhe ensinado. Aproveite a caminhada.
    Imagine-se voltando para cada e encontrando abertos os braços de um Pai ou o calor que só um ventre de uma Mãe pode ter para aconchegar a alma, e caminhe com os Deuses com que chamarem teu nome, pois Eles terão as respostas para as suas questões mais imediatas. Não espere descobrir quais serão seus Deuses de culto, pois não há garantias de que você terá um dia culto específico a alguma divindade, a muitas ou a todas com o mesmo carinho. Todas essas possibilidades são válidas.

    Respeite toda a criação e, reconhecendo-se nela, respeite seu próprio tempo e espaço. A natureza funciona em ciclos, e todos estamos sujeitos a sucessão desses ciclos. Aprenda a reconhecer em si o ritmo da natureza, e dance com ela a cada instante de sua vida.

    Seja paciente e criterioso. Se você segue um caminho já trilhado por outros (uma corrente religiosa pagã qualquer), conheça e aprenda seus preceitos mais básicos antes de procurar aprofundar-se em seus pormenores. Se segue sozinho, esse cuidado vale para as informações que garimpar, pois sem que o solo seja firme nenhuma construção fica de pé, e qualquer plantação torna-se erosão ou deserto.

    Tenha muito cuidado com quem te guie. Lembre-se sempre de que essa pessoa (ou grupo), por mais experiente, sábia e bem intencionada que seja, é apenas um guia, não um "guru" e por certo não é dono de verdade alguma, podendo no máximo apontar-lhe algumas poucas verdades mais aceitas no âmbito da ciência. Portanto, não existe alguém que se deva seguir, mas pessoas cujos caminhos nos servem de Inspiração. Olhe-se no espelho como a pessoa única que é, e aprenda a orgulhar-se disso sem esquecer de que somos todos apenas aprendizes, sempre.

    Colha toda a informação que puder, mas certifique-se de que os livros e textos aos quais você tenha acesso sejam não só fieis ao pensamento pagão como embasados em fatos. Duvide dos fatos, pois não vai faltar quem os torça ou invente para justificar suas próprias "verdades" para transformá-lo em mais um em seu rebanho.

    Tenha senso-crítico e conteste quando achar apropriado, pois é contestando que os diálogos mais produtivos se iniciam e as maiores compreensões acontecem. Só não se esqueça de que diálogos necessitam de respeito para acontecer e neles não é necessário haver um vencedor.

    Nunca se esqueça que seu vínculo é direto com os Deuses, e ninguém é intermediário nessa comunhão, mas demonstre sua gratidão aos que estendem a mão e te auxiliam, reconhecendo essa ajuda e dando os créditos a quem de direito. Agradeça sim, mas não apenas isso. Continue o trabalho de instruir e ajudar quem precise com o que você já saiba o suficiente pra demonstrar. É demonstrando como é e como foi o seu caminho até agora que você poderá ver o quanto cresceu e o quanto ainda tem a aprender. Faça-o de forma que as pessoas possam, assim como você, trilhar seus próprios rumos aproveitando o que lhes for válido.

    Não crie rebanhos. Os filhos dos Deuses correm livres pelos Seus campos. Nossos sacerdotes não são pastores de ovelhas, mas sinais espalhados pela floresta indicando onde há água fresca de beber e abrigo seguro para nos protegermos.

    Celebre a diversidade como uma característica inerente aos Deuses. Concorde ou discorde, mas não aponte o dedo pra soltar palavras vãs ao vento. Toda crítica que sair dos teus lábios deve ser como o adubo, possibilitando a quem te ouça um momento de reflexão e crescimento, e não qual o veneno que destrói tudo o que toca. Claro, a escolha entre depositar o adubo ou o derramar o fel é sua, assim como a responsabilidade pelos seus atos, por mais que você não a aceite ou tente negligenciar.

    Por fim, evite ao máximo que seus ritos e feitiços beneficiem a você e somente a você. Ser pagão é cultivar a consciência de que vivemos inseridos num contexto muito maior que nossos pequenos umbigos. Não tente usar o poder como se fosse algo seu, pois na verdade ele apenas flui através de ti, pois esse é o caminho ao qual você escolheu pertencer.

    Compreenda isso e, então, você estará no caminho de tornar-se um pagão.

Alexandre Malhado


Carta foi originalmente postada no endereço antigo deste blog, atualizada e revisada para publicação neste endereço. Para mim, esse é daqueles textos que são essenciais ao pagão recém-chegado em nosso meio, independente da fé que decida seguir dentro de seu imenso tronco religioso.

Receba as boas vindas ou quem esteja chegando em seu convívio com os Deuses ao som de "Santiago", composta e interpretada por Loreena McKennitt. A música não tem letra, mas junto à música consta um depoimento em vários idiomas da própria cantora sobre esta canção, aqui apresentada numa versão ao vivo.

Marcadores: , , , ,

3 Comentários:

Blogger Nil Tojal disse...

ola malha blz..vc num responde os emails fera.....

sempre precisamos nos lembrar dos quem estão começando

28 março, 2007 17:12  
Blogger Nil Tojal disse...

acho que coisas sempre tem que ser ditas novamente... para o bem de quem a le pela milésima vez, para fazer trazer de volta a humildade de que um dia teve... e para quem a le pela primeira vez, para descobri que ele não esta sozinho em suas aventuras...

29 março, 2007 16:07  
Blogger Nil Tojal disse...

acho que coisas sempre tem que ser ditas novamente... para o bem de quem a le pela milésima vez, para fazer trazer de volta a humildade de que um dia teve... e para quem a le pela primeira vez, para descobri que ele não esta sozinho em suas aventuras...

29 março, 2007 16:07  

Postar um comentário

Links para este texto:

Criar um link

<< Voltar à página inicial